Pular para o conteúdo principal

Copom reduz Selic a 7%, o menor nível da história


O comitê do Banco Central reduziu o nível de cortes em relação às reuniões anteriores; analistas preveem fim do ciclo de corte de juro


Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, reduziu nesta quarta-feira a Selic em 0,5 ponto porcentual, para 7%. É o menor valor para taxa básica de juros desde 1999, quando a instituição passou a divulgar metas para o índice como ferramenta de política monetária. É o décimo corte consecutivo na Selic.

O Comitê entende que a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante para a condução da política monetária, que inclui os anos-calendário de 2018 e 2019, é compatível com o processo de flexibilização monetária”, diz o comitê em nota.

O Copom reduziu o ritmo de corte de juros em relação às reuniões de setembro e outubro – que tiveram queda de 1 ponto e 0,75 ponto, respectivamente. O comportamento era esperado pelo mercado financeiro, segundo os dados do último Boletim Focus. A previsão é de que o patamar de 7% se mantenha ao fim de 2018. A próxima reunião está marcada para os dias 6 e 7 de fevereiro.



A taxa Selic ao longo dos anos
Histórico da taxa de juros desde que passou a ser divulgada pelo Banco Central para fins de política monetária, em 5 de março de 1999
  


Na visão dos analistas, o BC vem indicando que o ciclo de cortes de juros, iniciado em outubro de 2016, está chegando ao fim. Na época, a taxa de juros estava em 14,25%, e foi elevada gradualmente a esse patamar como tentativa de conter o avanço da inflação. O IPCA atingiu 10,67% em 2015, acima do teto da meta para o ano (6,5%)
No comunicado divulgado hoje, o Copom informa que “caso o cenário básico evolua conforme esperado, vê, neste momento, como adequada uma nova redução moderada na magnitude de flexibilização monetária”. “Essa visão para a próxima reunião é mais suscetível a mudanças na evolução do cenário e seus riscos que nas reuniões anteriores. Para frente, o Comitê entende que o atual estágio do ciclo recomenda cautela na condução da política monetária.”
Recentemente, com a desaceleração da atividade econômica, os preços passaram a subir menos e o BC viu espaço para reduzir os juros. A previsão é de que a inflação termine o ano em 3,03%. O centro da meta do IPCA para 2017 é de 4,5%, limite que pode oscilar entre 3% e 6% devido à margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual.
O ciclo atual de cortes na Selic
Decisões sobre a taxa juros 


A taxa Selic
A Selic é a taxa usada como referência para definir os juros pagos em diversos contratos do sistema financeiro, de empréstimos para a compra de imóveis a cartões de crédito. Ela é definida em reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom), que é parte do Banco Central, em reuniões que ocorrem a cada 45 dias. O BC altera a taxa básica de juros para controlar a inflação, por meio da influência que a Selic têm na oferta de dinheiro disponível no mercado.

Fonte: 

https://veja.abril.com.br/economia/copom-reduz-selic-a-7-o-menor-nivel-da-historia/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                          Por:  Clickfoz    Publicado em:  14/08/2019 O  Clickfoz  teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do  Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte , DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de  Foz do Iguaçu , tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma n

STJ autoriza penhora de 15% de salário para quitar dívida de aluguel

A 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que, além de ter uma renda considerada alta, adquiriu a dívida na locação de imóvel residencial. STJ autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que adquiriu dívida na locação de imóvel Reprodução Para o colegiado, a penhora nesse percentual não compromete a subsistência do devedor, não sendo adequado manter a impenhorabilidade no caso de créditos provenientes de aluguel para moradia — que compõe o orçamento de qualquer família —, de forma que a dívida fosse suportada unicamente pelo credor dos aluguéis. Segundo o relator do recurso julgado, ministro Raul Araújo, a preservação da impenhorabilidade em tal situação “traria grave abalo para as relações sociais”, pois criaria dificuldade extra para os assalariados que precisassem alugar imóveis para morar. O ministro apontou que o artigo 833 do CPC atual deu à matéria das penhoras tratamento diferente em comparação a

Foz do Iguaçu para Investidores