Pular para o conteúdo principal

Bancos já podem emprestar mais, diz Trabuco

O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, afirmou ao Estadão/Broadcast que os bancos estão preparados para ampliar o financiamentos no País.
O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, afirmou ao Estadão/Broadcast que os bancos estão preparados para ampliar o financiamentos no País. “Como a recessão acabou, estamos com o dedo no gatilho para emprestar”, disse, por telefone, de Davos, onde participará do Fórum Econômico Mundial.
A perspectiva do Bradesco para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018 é de 2,8%. “Com uma taxa ao redor de 3%, é fácil prever que o crédito possa crescer 5%, o que torna 2018 um ano excepcionalmente bom”, previu. Assim como há capacidade ociosa na indústria doméstica, como no caso da automobilística, também há capacidade ociosa no setor financeiro, disse Trabuco.
O momento, para o executivo, é de retomada, depois de três anos de recuo no volume de contratos de crédito. “A fatia do crédito saiu de quase 55% do PIB para 46% por vários motivos: falências, quebras, reestruturação, recessão. Sua retomada depende quase que basicamente do PIB agora”, disse.
Em relação ao pequeno impacto no mercado doméstico do rebaixamento da nota de crédito brasileira pela agência S&P, Trabuco disse que apesar de os fundamentos fiscais do Brasil serem piores que os de seus pares, os fundamentos externos locais (conta corrente, fluxo de investimento direto) são melhores. “O mercado levou em consideração isso e o mercado brasileiro não está desconectado de um ambiente global favorável.”
Sobre reforma da Previdência, o presidente do Bradesco afirmou que o Brasil está atrasado em relação ao viés que domina os debates sobre o tema. “No Fórum, o tema é tratado sob o foco da demografia, do envelhecimento e, no Brasil, o assunto é tratado em função da necessidade fiscal. Nem discutimos o impacto do envelhecimento do sistema de proteção e por isso estamos um pouco atrás.”
Não há dúvidas, segundo ele, que a questão fiscal é prioritária, mas, as discussões em torno da reforma têm de ser colocadas “no gerúndio”. “Isso deve fazer parte de uma agenda das próximas décadas. Temos de fazer ajuste fiscal no Brasil ao redor de 5% do PIB (Produto Interno Bruto), é um dos maiores comparáveis a outras economias. Isso precisa de determinação, compromisso porque faz o futuro do Brasil.”
Por isso, Trabuco acredita que todos os potenciais candidatos à Presidência da República na eleição de outubro terão de se posicionar sobre o tema. Ele evitou arriscar um palpite sobre que perfil tem mais chances de vencer a disputa. “Qual é o tema para o eleitor em outubro? Economia, ética, segurança ou previdência? Independentemente de onde se situe o candidato, temos de entender que o ideal seja alguém que dê sequência ao papel de modernização da economia. Precisamos ter senso de urgência e nunca dá para começar um novo governo do zero. É preciso acabar com o que está em circulação. Principalmente a reforma da Previdência.”
Fonte: Tribuna do Paraná

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Foz do Iguaçu para Investidores

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                          Por:  Clickfoz    Publicado em:  14/08/2019 O  Clickfoz  teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do  Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte , DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de  Foz do Iguaçu , tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma n
Caixa reduz juros da casa própria e aumenta limite para financiar imóvel usado Taxa mínima caiu para 8,75% para imóveis do SFH e para 9,50% no SFI; limite para financiar imóveis usados subiu de 70% para 80% a partir desta sexta-feira (24). A Caixa Econômica Federal (CET)  anunciou a redução nas taxas de juros do crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), e aumentou o percentual do valor para financiar imóveis usados. As mudanças começam a valer nesta sexta-feira (24). ·                     As taxas mínimas passaram de 9% ao ano para 8,75% no caso de imóveis financiados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Já os juros para imóveis do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) passaram de 10% ao ano para 9,50% ao ano. O limite de cota de financiamento de imóveis usados sobe de 70% para 80%. Com isso, é possível dar uma entrada menor na aquisição deste tipo de bem. (Foto: Infografia: Karina Almeida/G1) Ex