Pular para o conteúdo principal

O tão esperado crescimento do mercado imobiliário em 2019

O tão esperado crescimento do mercado imobiliário em 2019

Números do setor comprovam que o momento é favorável para a aquisição de moradias, principalmente as de médio e alto padrões, que devem puxar as vendas.
.
Bons ventos sopram para o mercado imobiliário nesse ano de 2019. Confirmando as previsões de especialistas, o setor vem registrando números favoráveis, o que dá maior segurança para quem quer investir em imóveis. Nesse movimento de retomada, o esperado crescimento gradual e consistente está se confirmando.
Importante termômetro da economia, a construção civil é responsável por cerca de 6% do PIB nacional. A estimativa de crescimento do PIB do setor é de 2% em 2019, segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), quebrando uma sequência negativa dos últimos anos.
A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) também apresenta dados bastante representativos. Somente no primeiro trimestre, a entidade registrou avanço de 9,7% nas vendas e de 4% nos lançamentos residenciais. A estimativa é que os lançamentos e as vendas de imóveis residenciais cresçam entre 10% e 15% nesse ano, sendo as moradias de médio e alto padrões apontadas como as principais responsáveis por esse aumento.
Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que são justamente os que custeiam as moradias de médio e alto padrões, também reforçam as perspectivas favoráveis. No mês de abril, atingiram R$ 5,77 bilhões, valor 2,2% maior em relação a março e 40,3% mais alto comparado ao mesmo mês de 2018.
Endossam o cenário de aquecimento do mercado imobiliário a redução da Selic para 6% ao ano, o menor patamar desde a sua criação, em 1996, a projeção de inflação máxima de 3,54% para 2019 e o aumento do teto do valor dos imóveis que se enquadram no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) para R$ 1.500.000, em vigor desde janeiro.
Da construção à venda
A abertura de novos postos de trabalho na construção civil ratifica a favorabilidade do setor. O Sinduscon-SP divulgou recentemente que nos cinco primeiros meses de 2019 foram abertos 50.899 novos postos, uma alta de 2,24%.
Na outra ponta, as vendas de imóveis também se intensificaram. A Pesquisa do Mercado Imobiliário, feita pelo Sindicato da Habitação do estado de São Paulo (SECOVI), mostrou que entre julho de 2018 a junho de 2019 foram comercializadas 36.673 unidades residenciais novas na capital paulista, número 32,2% maior em relação ao mesmo período anterior.
Ambiente do empreendimento Next, em São Carlos: aquecimento do mercado também no
               interior. — Foto: Crédito - Divulgação EBM
Fonte: G1 Notícias 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                          Por:  Clickfoz    Publicado em:  14/08/2019 O  Clickfoz  teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do  Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte , DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de  Foz do Iguaçu , tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma n

STJ autoriza penhora de 15% de salário para quitar dívida de aluguel

A 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que, além de ter uma renda considerada alta, adquiriu a dívida na locação de imóvel residencial. STJ autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que adquiriu dívida na locação de imóvel Reprodução Para o colegiado, a penhora nesse percentual não compromete a subsistência do devedor, não sendo adequado manter a impenhorabilidade no caso de créditos provenientes de aluguel para moradia — que compõe o orçamento de qualquer família —, de forma que a dívida fosse suportada unicamente pelo credor dos aluguéis. Segundo o relator do recurso julgado, ministro Raul Araújo, a preservação da impenhorabilidade em tal situação “traria grave abalo para as relações sociais”, pois criaria dificuldade extra para os assalariados que precisassem alugar imóveis para morar. O ministro apontou que o artigo 833 do CPC atual deu à matéria das penhoras tratamento diferente em comparação a

Foz do Iguaçu para Investidores