Pular para o conteúdo principal

Novas medidas da Caixa para financiamento de lotes e construção

financiamento-lotes-medidas-caixa
Share on linkedin
LINKEDIN
Share on facebook
FACEBOOK
Share on twitter
TWITTER

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou novas medidas para financiamento de lotes e uma nova taxa de juros para a construção individual em loteamentos.

Para o presidente da Associação das Empresas de Loteamento Urbano (Aelo), Caio Portugal, a criação dessa nova linha de crédito para a comercialização e construção de lotes urbanizados traz um ânimo para o segmento.

Pronto para conferir todas as novas medidas da Caixa neste artigo? Vamos lá!

Medidas para aquisição de lotes e construção

Para o financiamento de lotes, existem alguns critérios, como:

  • – Os lotes precisam estar em áreas urbanizadas;
  • – Valor entre 50 mil e 1,5 milhão de reais;
  • – Juros a 8,5% ao ano + TR (que hoje está em 0%);
  • – Financiamento de até 70% do valor de avaliação do lote;
  • – Prazo de até 240 meses para pagar.

Enquanto isso, para os consumidores que já possuem um lote e querem construir suas casas, é possível comprar o lote e financiar a construção junto. A construção da casa precisa ser individual e a taxa de juros é 6,50% ao ano + TR.

Quer mais informações? Então confira o vídeo completo do nosso parceiro Bruno Lessa, do Portal VGV.

Oportunidade para o mercado imobiliário

“A linha de crédito é muito bem-vinda, porque possibilita escoar os loteamentos já lançados e ajuda nos novos lançamentos para o mercado imobiliário”, afirma Celso Petrucci, presidente da Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da CBIC.

Como resultado, essas medidas pretendem movimentar loteadoras, incorporadoras e corretores de forma muito positiva. E neste momento de facilidade, você não vai querer complicar nenhum processo, certo?

Por isso, é muito importante ter uma gestão comercial mais simples, com todas as informações dos lotes atualizadas para a equipe comercial, espelho de vendas digital e com o envio de reservas e propostas de forma rápida e fácil.

Com o app Facilita, toda a gestão comercial para loteadoras fica descomplicada, como é o caso da BrDU, que tem uma equipe comercial com mais de 600 corretores de cidades do interior usando o CRM diariamente, no próprio smartphone! Quer saber mais sobre a ferramenta? Preencha o formulário abaixo!

FALE COM UM DE NOSSOS CORRETORES!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                          Por:  Clickfoz    Publicado em:  14/08/2019 O  Clickfoz  teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do  Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte , DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de  Foz do Iguaçu , tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma n

STJ autoriza penhora de 15% de salário para quitar dívida de aluguel

A 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que, além de ter uma renda considerada alta, adquiriu a dívida na locação de imóvel residencial. STJ autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que adquiriu dívida na locação de imóvel Reprodução Para o colegiado, a penhora nesse percentual não compromete a subsistência do devedor, não sendo adequado manter a impenhorabilidade no caso de créditos provenientes de aluguel para moradia — que compõe o orçamento de qualquer família —, de forma que a dívida fosse suportada unicamente pelo credor dos aluguéis. Segundo o relator do recurso julgado, ministro Raul Araújo, a preservação da impenhorabilidade em tal situação “traria grave abalo para as relações sociais”, pois criaria dificuldade extra para os assalariados que precisassem alugar imóveis para morar. O ministro apontou que o artigo 833 do CPC atual deu à matéria das penhoras tratamento diferente em comparação a

Foz do Iguaçu para Investidores