Pular para o conteúdo principal

Novas medidas da Caixa para financiamento de lotes e construção

financiamento-lotes-medidas-caixa
Share on linkedin
LINKEDIN
Share on facebook
FACEBOOK
Share on twitter
TWITTER

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou novas medidas para financiamento de lotes e uma nova taxa de juros para a construção individual em loteamentos.

Para o presidente da Associação das Empresas de Loteamento Urbano (Aelo), Caio Portugal, a criação dessa nova linha de crédito para a comercialização e construção de lotes urbanizados traz um ânimo para o segmento.

Pronto para conferir todas as novas medidas da Caixa neste artigo? Vamos lá!

Medidas para aquisição de lotes e construção

Para o financiamento de lotes, existem alguns critérios, como:

  • – Os lotes precisam estar em áreas urbanizadas;
  • – Valor entre 50 mil e 1,5 milhão de reais;
  • – Juros a 8,5% ao ano + TR (que hoje está em 0%);
  • – Financiamento de até 70% do valor de avaliação do lote;
  • – Prazo de até 240 meses para pagar.

Enquanto isso, para os consumidores que já possuem um lote e querem construir suas casas, é possível comprar o lote e financiar a construção junto. A construção da casa precisa ser individual e a taxa de juros é 6,50% ao ano + TR.

Quer mais informações? Então confira o vídeo completo do nosso parceiro Bruno Lessa, do Portal VGV.

Oportunidade para o mercado imobiliário

“A linha de crédito é muito bem-vinda, porque possibilita escoar os loteamentos já lançados e ajuda nos novos lançamentos para o mercado imobiliário”, afirma Celso Petrucci, presidente da Comissão da Indústria Imobiliária (CII) da CBIC.

Como resultado, essas medidas pretendem movimentar loteadoras, incorporadoras e corretores de forma muito positiva. E neste momento de facilidade, você não vai querer complicar nenhum processo, certo?

Por isso, é muito importante ter uma gestão comercial mais simples, com todas as informações dos lotes atualizadas para a equipe comercial, espelho de vendas digital e com o envio de reservas e propostas de forma rápida e fácil.

Com o app Facilita, toda a gestão comercial para loteadoras fica descomplicada, como é o caso da BrDU, que tem uma equipe comercial com mais de 600 corretores de cidades do interior usando o CRM diariamente, no próprio smartphone! Quer saber mais sobre a ferramenta? Preencha o formulário abaixo!

FALE COM UM DE NOSSOS CORRETORES!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                         Por: Clickfoz   Publicado em: 14/08/2019 O Clickfoz teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte, DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de Foz do Iguaçu, tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma nova aduana entre Brasil e …

STJ autoriza penhora de 15% de salário para quitar dívida de aluguel

A 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que, além de ter uma renda considerada alta, adquiriu a dívida na locação de imóvel residencial. STJ autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que adquiriu dívida na locação de imóvel
Reprodução Para o colegiado, a penhora nesse percentual não compromete a subsistência do devedor, não sendo adequado manter a impenhorabilidade no caso de créditos provenientes de aluguel para moradia — que compõe o orçamento de qualquer família —, de forma que a dívida fosse suportada unicamente pelo credor dos aluguéis. Segundo o relator do recurso julgado, ministro Raul Araújo, a preservação da impenhorabilidade em tal situação “traria grave abalo para as relações sociais”, pois criaria dificuldade extra para os assalariados que precisassem alugar imóveis para morar. O ministro apontou que o artigo 833 do CPC atual deu à matéria das penhoras tratamento diferente em comparação ao CPC de…

Foz do Iguaçu para Investidores