Pular para o conteúdo principal

Novas taxas da Caixa para financiamento de imóveis entram em a partir de 22/10/2020

Começa a valer a partir de 22 de Outubro de 2020, a nova taxa de juros Caixa Econômica Federal para o financiamento de imóveis para pessoas físicas com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo SBPE. A partir de agora, a linha de crédito indexada pela Taxa Referencial terá taxa mínima de TR + 6,25%, e máxima de TR + 8%, uma queda de até 0,50 ponto percentual. É hora de mudar de casa? Alugar ou comprar, e como? Saiba como com a EXAME Academy.

As taxas, válidas para novos financiamentos, já podem ser acessadas pelos clientes por meio do simulador habitacional da Caixa. A estimativa do banco é conceder mais de R$ 14 bilhões em crédito imobiliário SBPE até o fim deste ano.


Outras medidas

Responsável por 69% do crédito imobiliário do país, a Caixa anunciou no último dia 14, quando bateu a marca histórica de 500 bilhões de reais em financiamento para casa própria, um pacote de ações de estímulo ao setor. A expectativa do banco é impactar 830.000 famílias por meio de R$ 83 bilhões em recursos.

Entre as medidas estão a prorrogação da carência para início do pagamento das parcelas dos novos contratos imobiliários. Pelas novas regras, clientes que adquirirem imóveis novos poderão iniciar o pagamento do encargo mensal, composto de juros e amortização, seis meses após a contratação. Nesse período, será necessário arcar com seguros e taxa de administração do contrato.

A Caixa também anunciou que os clientes que tiverem dificuldades para retomar o pagamento integral das suas prestações poderão optar pelo pagamento parcial de 75% do valor, por até seis meses, ou entre 50% e 75%, por até três meses, de acordo com o seu perfil.

Estão previstos ainda feirões habitacionais online e a possibilidade de contratar o financiamento imobiliário de forma 100% digital pelo aplicativo Caixa Habitação. Ainda assim, o cliente precisará ir à agência para assinar o seu contrato. Entre janeiro e setembro deste ano, o app registrou 326.000 transações por dia.


Fonte:

https://exame.com/mercado-imobiliario/novas-taxas-da-caixa-para-financiamento-de-imoveis-entram-em-vigor-hoje/?utm_source=whatsapp

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                          Por:  Clickfoz    Publicado em:  14/08/2019 O  Clickfoz  teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do  Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte , DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de  Foz do Iguaçu , tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma n

STJ autoriza penhora de 15% de salário para quitar dívida de aluguel

A 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que, além de ter uma renda considerada alta, adquiriu a dívida na locação de imóvel residencial. STJ autorizou a penhora de 15% da remuneração bruta de devedor que adquiriu dívida na locação de imóvel Reprodução Para o colegiado, a penhora nesse percentual não compromete a subsistência do devedor, não sendo adequado manter a impenhorabilidade no caso de créditos provenientes de aluguel para moradia — que compõe o orçamento de qualquer família —, de forma que a dívida fosse suportada unicamente pelo credor dos aluguéis. Segundo o relator do recurso julgado, ministro Raul Araújo, a preservação da impenhorabilidade em tal situação “traria grave abalo para as relações sociais”, pois criaria dificuldade extra para os assalariados que precisassem alugar imóveis para morar. O ministro apontou que o artigo 833 do CPC atual deu à matéria das penhoras tratamento diferente em comparação a

Foz do Iguaçu para Investidores