Pular para o conteúdo principal

Preços dos imóveis têm maior alta mensal desde 2014, segundo Índice Fipezap

Os preços de venda dos imóveis residenciais subiu 0,53% em setembro, na maior alta mensal em seis anos, segundo dados divulgados nesta terça-feira (6) pela FipeZap – desde a alta de 0,55% registrada em setembro de 2014. Em agosto, o indicador, que acompanha 50 cidades, havia ficado em 0,37%.
O Índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados é o primeiro indicador com abrangência nacional que acompanha os preços de venda e locação de imóveis no Brasil.
A taxa calculada é maior do que a inflação esperada para o período, de 0,43%. A inflação oficial será divulgada em 9 de setembro e, se a previsão se confirmar, o valor dos imóveis terá registrado alta real (acima da inflação) de 0,10%.
Em 12 meses, os preços seguem acumulando queda real de 0,76% (em se confirmando a expectativa para o IPCA de setembro). Sem contar a inflação, os preços acumulam alta nominal de 2,14%.
FipeZap setembro/2020 — Foto: Economia G1
FipeZap setembro/2020 — Foto: Economia G1

Capitais
Entre as capitais monitoradas pela FipeZap, apenas Porto Alegre não registrou alta no período. Veja os resultados nas capitais:
São Paulo: +0,35%
Rio de Janeiro: +0,38%
Belo Horizonte: +0,70%
Brasília: +1,97%
Salvador: +0,70%
Fortaleza: +0,52%
Recife: +1,20%
Porto Alegre: -0,05%
Curitiba: +1,39%
Florianópolis: +0,10%
Vitória: +0,66%
Goiânia: +0,61%
João Pessoa: +0,78%
Campo Grande: +0,35%
Maceió: +0,66%
Manaus: +0,48%

Preço médio de venda
O preço médio dos imóveis chegou a R$ 7.394 por metro quadrado (m²) entre as 50 cidades monitoradas. Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do m² mais elevado (R$ 9.347/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.242/m²) e Brasília (R$ 7.889/m²).

Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², foram Campo Grande (R$ 4.296/m²), Goiânia (R$ 4.369/m²) e João Pessoa (R$ 4.392/m²).


Fonte:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/10/06/precos-dos-imoveis-tem-maior-alta-mensal-desde-2014-diz-fipezap.ghtml


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai

CONHEÇA O TRAÇADO INICIAL DA ROTA DA SEGUNDA PONTE E DA PERIMETRAL LESTE DE FOZ Ponte ganhará iluminação noturna, com as cores do Brasil e Paraguai                                                                                          Por:  Clickfoz    Publicado em:  14/08/2019 O  Clickfoz  teve acesso no fim da tarde desta quarta-feira, 14, ao traçado inicial da Ponte da Integração, com imagens do projeto da construção da segunda ponte e da rota da Perimetral Leste. O arquivo é do  Departamento Nacional de Infra-Estrutura do Transporte , DNIT. As vias, que servirão de rota dos caminhões para a entrada e saída de produtos nos países da fronteira, ganharão varias melhorias, além de uma nova rota exclusiva. Esta passará por fora da área urbana de  Foz do Iguaçu , tendo trechos na Av Mário Filho, BR-469, Av Felipe Wandscheer e Av. República Argentina, saindo nas proximidades dos presídios, que ficam na entrada da cidade. De acordo com o projeto, será construído também uma n

Foz do Iguaçu para Investidores

Caixa reduz juros da casa própria e aumenta limite para financiar imóvel usado Taxa mínima caiu para 8,75% para imóveis do SFH e para 9,50% no SFI; limite para financiar imóveis usados subiu de 70% para 80% a partir desta sexta-feira (24). A Caixa Econômica Federal (CET)  anunciou a redução nas taxas de juros do crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), e aumentou o percentual do valor para financiar imóveis usados. As mudanças começam a valer nesta sexta-feira (24). ·                     As taxas mínimas passaram de 9% ao ano para 8,75% no caso de imóveis financiados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Já os juros para imóveis do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) passaram de 10% ao ano para 9,50% ao ano. O limite de cota de financiamento de imóveis usados sobe de 70% para 80%. Com isso, é possível dar uma entrada menor na aquisição deste tipo de bem. (Foto: Infografia: Karina Almeida/G1) Ex